Anucie sua empresa

Anucie sua empresa

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Parabéns!


A quem faz a alma feliz...

Parabéns!!!
Tabira recebe Festival Nação Cultural


De 24 a 28 de julho, a cidade de Tabira receberá o Festival Pernambuco Nação Cultural, com oficinas, cinema, poesia e muita música. O Festival Pernambuco Nação Cultural é o carro-chefe da política cultural da Secretaria de Cultura do estado.



Confira a programação completa



Tabira

De 24 a 28 de julho de 2012



Audiovisual


Terça-feira, 24/7



Mostra Cinema na Estrada


Horário: 19h

Local: Bairro das Missões



Cultura Popular

Quarta-feira, 25/7



07h – Bacamarteiros de Tabira

08h – Banda de Pífanos Santo Antônio

Local: Praça Pedro Pires Ferreira



Sexta-feira, 27/7


20h30 – Trios Pé de Serra

Repentes: Afonso Poeta e Daniel, Trio Dedo de Ouro, Trio Primos do Forró e Declamadores (Gonga Monteiro, Adeval Soares, Paulo Monteiro, Verônica Sobral, Nanny Brito e Zé Mariano)

Local: Avenida Pereira Amorim



Sábado, 28/7


12h – Belas Tardes de Viola com Zé Carlos do Pajeú e Severino Dionísio

Declamador Junior Guedes



De 24 a 28

Oficina de Teatro inscrições com Neide Nascimento(vagas limitadas)

Local: Ponto de Cultura(APPTA)





Centenário de Cancão

Quem foi JOÃO BATISTA DE SIQUEIRA?


João Batista de Siqueira, poeta popular mais conhecido por Cancão nasceu em São José do Egito, a 12/05/1912. Em 1950, deixou de participar de cantorias de viola e dedicou-se apenas à poesia escrita. Sua obra já foi classificada pelos críticos como uma versão popular à poesia de poetas românticos como Castro Alves, Fagundes Varela ou Casimiro de Abreu.



Freqüentou a escola por pouco tempo (“não cheguei ao segundo livro”) e foi, também, oficial de Justiça em sua cidade, onde morreu a 05/07/1982. Livros publicados: “Meu Lugarejo”, ”Musa Sertaneja” e “Flores do Pajeú”. Folhetos de Cordel de sua autoria: “Fenômeno da Noite”, “Mundo das Trevas”, “Só Deus é Quem Tem Poder”.



* * *



O INCÊNDIO


Sobe ao lado direito da ladeira
Turbilhão de fumaça espiralada
A labareda se eleva acompanhada
Do estalo ruidoso da madeira



Animais se dispersam na carreira
No bafo sufocante da queimada
Passa a ave piando embaraçada
Da quentura que atinge a mata inteira



Lavas cruzam, volteiam, se embaralham
Se misturam, mergulham, se esbandalham
Numa fúria de demônios poderosos



Já tudo devastado, apenas brilha
O braseiro, que ainda se enrodilha
Crepitando nos troncos resinosos



* * *



ABANDONO


Não quero mais o teu amor, perjura
Não me seduzas, coração fingido
Repara, vê como eu estou ferido
Por teu sorriso de voraz ternura


És como a cobra ao sentir bravura
Das criaturas que já tem mordido
Em teu espírito há um mal contido
Pra teu veneno não existe cura


Foge pra longe com os teus encantos
Enxuga noutro teus malditos prantos
Não me atormente com teus falsos ‘ais’



Esquece os tempos que jamais revivem
Deixa eu viver como as aves vivem
Por minha vida não pergunte mais.




SÃO JOSÉ DO EGITO COMEMORA CENTENÁRIO DE CANCÃO






Local: SÃO JOSÉ DO EGITO - CENTRO DE INCLUSÃO DIGITAL


SEXTA-FEIRA – 27.07.2012

15:00 – 16:00 PALESTRA DE ABERTURA: Cancão e Augusto dos Anjos: Diálogo entre o popular e o Erudito

Prof. Dr. Josivaldo Custódio

(Universidade de Pernambuco – UPE)



16:15 – 16:45 CANTORIA: Os dois coqueiros

Afonso Pequeno e Lázaro Pessoa

Apresentação: Marcos Passos



17:00 – 18:00 PALESTRA: O cantar do Pajeú: Tradição e oralidade na poética popular

Profª. Drª. Karlla Christine Souza

Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN)



20:00 – 20:30 RECITAL E LANÇAMENTO DO LIVRO: Cancão, o gênio Inocente

Autor: Paulo Passos



20:15 – 21: 15 MESA DE GLOSAS: Ninho Roubado

Glosadores: Aldo Neves (Tuparetama) / Alexandre Morais (Afogados da Ingazeira) / Clécio Rimas e Dudu Morais (Tabira) / Caio Meneses, Maciel Correia e João Filho (São José do Egito) / Zé Adalberto (Itapetim).

Apresentação: Marcos Passos



21:30 – 23:00 SHOW: Palavras ao Plenilúnio

Chico Pedrosa

Bia Marinho

Apresentação: Marcos Passos



SÁBADO – 28.07.2012


10:30 – 12:30 MESA DE PROSA: A casa do ébrio (prosa sobre a vida e a obra de Cancão com amigos que conviveram com o poeta) Prosadores: Antônio de Catarina, Zé Silva, Edvaldo da Bodega, Sebastião Siqueira (Beijo), Cícero Formosino, Pedro Tunu, Reginaldo (sujinho), Donzílio Luiz

Apresentação: Edinaldo Leite



15:00 – 16:00 PALESTRA: O conto popular e a poesia de Cancão: um estudo comparativo Prof. Dra. Maria Nazareth Arrais Universidade Federal da Paraíba – UFPB



16:15 – 17:15 AULA-ESPETÁCULO: A serra do Teixeira e o nascimento do Pássaro Poeta



Edison Roberto

Marcos Passos

Greg Marinho



17:30 – 18:30 PALESTRA DE ENCERRAMENTO: A poesia de Cancão como marco do Pajeú

Prof. Dr. Nélson Barbosa Universidade Federal da Paraíba – UFPB Local: Centro de Inclusão Digital



19:00- 20:00 Recital poético musical: Diversos declamadores e músicos Apresentação: Marcos Passos



20:30 – 21:45 MESA REDONDA: Cancão e a tradição poética do Pajeú

Aroldo Ferreira Leão (Universidade Federal do Vale do São Francisco – UNIVASF)

Neném Patriota Colégio Interativo (São José do Egito)

Meca Moreno (União dos Cordelistas de Pernambuco – UNICORDEL)



22:00 – 24:00 SHOW: Depois da Chuva

Em Canto e Poesia (São José do Egito)

Tonino Arcoverde (Arcoverde) Lançamento do cd Depois da Chuva (Cancão / Tonino Arcoverde)

Apresentação: Marcos Passos

Solidão fundará Associação de Poetas





Sexta-feira ( 27/07). 15 horas. Câmara de Vereadores de Solidão! Essa é a dica para o amante da poesia, da prosa, da cultura popular! É lá que acontecerá a Fundação da Associação de Poetas e Prosadores de Solidão - APPSOL. A primeira associação da cidade que objetiva preservar a poesia popular daquela cidade, tão presente na alma do povo.

A ideia surgiu da Gestora da Escola José Gonçalves - Ridailda Gonçalves - que, ao ver os alunos lendo ou escrevendo poemas, começou alimentar o sonho da associação.  E assim o sonho se concretizará! A associação acolherá todos os poetas, prosadores, admiradores e promotores da cultura, especialmente da poesia popular!

Neste momento, a Escola José Gonçalves assume a missão de incluir a sociedade nos eventos poéticos que a Associação promoverá! Será a missão social que a escola tão bem sabe fazer!



Solidão - cidade localizada no Sertão do Pajeú  de Pernambuco, 430 km da capital - Recife.  Veja mais informações: http://www.solidao.pe.gov.br/portal1/intro.asp?iIdMun=100126164 


sexta-feira, 20 de julho de 2012

Dedé Monteiro


Dupla Estiagem

Quando Deus manda, lá por seus motivos,
Dois anos secos para os sertanejos,
Se os mesmos anos são consecutivos,
Tombam por terra todos os desejos.

Pelas estradas, tristes, pensativos,
Vão-se arrastando, como caranguejos,
Milhares desses pobres semi-vivos,
Deixando a vida sobre seus rastejos.

A nossa terra, que com chuva é rica,
Faltando a mesma, desprezada fica,
Tombando a seca sobre os ombros nus.

O sol resseca todas as alfombras
E os bichos brutos vão procurar sombras
Nas sombras magras dos mandacarus.
( Dedé Monteiro - 1979)

Diniz Vitorino

Marginal aposentado


Prenda o homem, doutor, ele é ladrão!
Ex-pedreiro, hoje velho aposentado,
Ganha o mínimo, o orgulho da nação
Inda sai pra roubar! Que descarado!


Cento e trinta por mês já tem na mão
Um salário pra lá de respeitado.
Paga oitenta reais do barracão

Ainda sobram oitenta pro mercado.


Tem somente três filhos pra criar!
Vejam só: é motivo pra roubar?
"- Não senhor!" Então prendam o delinquente!


Que ele pague nas grades o sacrilégio,
Pra saber que roubar é privilégio
Dos corruptos leais ao presidente!


( Diniz Vitorino)



quarta-feira, 18 de julho de 2012

Associação de Poetas de Solidão

SOLIDÃO TERÁ ASSOCIAÇÃO DE POETAS

A Escola Municipal José Gonçalves do Nascimento realizará a fundação da Associação dos Poetas e Prosadores de Solidão -APPSOL. Por perceber um grande número de alunos poetas na comunidade escolar, a diretora da Escola, Ridailda, demonstrou a vontade de organizar um grupo para difundir efetivamente a poesia tão presente em Solidão! 

Sendo assim, poetas e prosadores de Solidão, neste dia 27/07, serão recepcionados na Escola José Gonçalves, para fundação da Associação e escolha da diretoria! Será um momento muito importante para a cultura do Pajeú, principalmente da cidade de Solidão!
Veja o slogan da Associação:  (Art de Jackson Amaral)

terça-feira, 5 de junho de 2012

Arraial da APPTA

APPTA realiza arraial com Vozes do Campo




domingo, 3 de junho de 2012

Dedé Monteiro


Soneto de Revolta

Que culpa tenho de ser diferente?
Amar as artes, por ventura, é crime?
Tudo é mutável , e o irreverente
Não se acostuma com qualquer regime.

Contra a vontade rude e indiferente,
Eu sou amante do sagrado time
Que empresta a alma, sofre, cria e sente,
E se sente nojo do poder que oprime.

Aprendam isso: gente não doma.
Pichem meu nome, rasguem meu diploma...
Aceito tudo com tranqüilidade.

Se acharem pouco, cubram-me de lodo,
Cortem meu riso, me excomunguem todo,
Mas não me toquem na dignidade!

( Dedé Monteiro)

Revista Coisas de Tabira



Tabira lança Coisas de Tabira

Durante as festividades da Emancipação, Roberta Costa - Secretaria de Administração de Tabira lançou a Revista " Coisas de Tabira"! Material excelente, bem organizado e, sem dúvida, registro da diversidade tabirense! 
Claro que não contempla tudo que Tabira tem , no entanto, acredito que as próximas edições trarão esse complemento! 

Parabéns Roberta, Rafinha e todos que contribuíram para as " Coisas de Tabira"!


Olá, gente!


Há quanto tempo não visitava as páginas poéticas e sertanejas do nosso blog! A correria da vida, os contratempos, as indisponibilidades fizeram com que eu ficasse um tempo longe de tudo. Era o chamado silêncio virtual! Mas estou de volta pra rascunhar...  e manter um contato com os nossos leitores! Uma forma viva de manter nossa cultura e nossa história acesa nas chamas da internet!

E então , gente... Tantos amigos perguntaram o motivo do meu silêncio na internet, questionaram, xingaram... pediram que eu voltasse! Eu nem sabia que liam meu blog assim! ( risos) E olhe que são bons leitores! É uma responsabilidade imensa escrever pra esse povo maravilhoso!

Enfim, estou de volta! E volto dizendo o que Dedé Monteiro disse:


Pelas horas repletas  de alegria

Por algumas bordadas de tristeza

Pela calma da noite, pelo dia,

Pela força sem fim da natureza.

Pelo sol, pela chuva, pelo vento,

Pelas grandes lições que o sofrimento

Muitas vezes, na vida, tem em dado!

Pelo quanto me dás, sem que eu mereça

Pela fé que me diz que eu te agradeça

Obrigado, Senhor, muito obrigado!


Um abraço poético e vamos nos encontrando de novo!

Veronica Sobral