Anucie sua empresa

Anucie sua empresa

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Receita de Ano Novo...



Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.

Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.
( Carlos Drummond de Andrade)

Um Grande Abraço! Obrigada por todo ano juntos nas páginas do nosso blog! Que possamos compartilhar bons momentos em 2011!








segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Indicação de Leitura...

PALAVRAS AO PLENILÚNIO...




Nem sei por que passei tanto tempo sem comprar o livro: "Palavras ao Plenilúnio" que reune obras do poeta João Batista de Siqueira - Cancão. 
 Palavras ao plenilúnio, obra organizada por Lindoaldo Vieira, reúne a inspiração de um poeta que via o mundo de forma única e, transmitia isso,com muita propriedade em seus versos. Cancão, em seus versos, descreveu o indescritível, transmitiu o que ninguém consegue transmitir. Somente um poeta com a alma tão sensível o faria isso! Um exemplo, é a descrição que é feita no poema: "  A Casa do ébrio":

Era um casebre tristonho
De cujas paredes tortas
Vinha o rangido enfadonho
Dos gonzos de duas portas.
As telhas já nodoadas
Duas roletas deitadas
Numa camarinha escura.
O vento, quando passava
Parecia que falava
Nas frinchas da fechadura.

Na parede do nascente
Um banco desmantelado
Um garrafão de aguardente
Que ainda havia sobrado.
Junto ao quarto de dormida
Cera que foi derretida
Do resto de algumas velas.
No chão, marcas de escarros
Cacos de vidros, cigarros
rolavam por cima delas.

(...) 

Uma criança chorava
Juntinho da mãe doente
Que com esforço lhe olhava
Mas já com ar diferente.
O rosto banhado em pranto
Deitada sobre um recanto
Numa parede encostada
A face triste e sombria
Que durante aquele dia
Nao tinha comido nada.

Depois, um homem barbado
Entrava cambaleando
Num andar lento e pesado
Exasperado, falando.
Um ferimento num braço,
Se ia aumentar o passo,
Botava a mão na parede.
Sorria e depois chorava
Pelos seus traços, mostrava
Sinais de quem tinha sede.


Poemas maravilhosos fazem parte dessa obra de Cancão, um egipciense que deixou marcas da poesia popular, bem feita e inspirada no sertão tão nosso... na vida... no ser humano!



DEDÉ MONTEIRO LANÇA " MEU QUARTO BAÚ DE RIMAS" EM CIDADES DO PAJEÚ

Depois do grande sucesso do lançamento do " Meu Quarto Baú de Rimas" promovido pela Editora Bagaço, dia 11 de dezembro, em Recife, agora é a vez do Pajeú sentir a poesia de Dedé Monteiro registrada no seu quarto livro.




Dedé é autor de " Retalhos do Pajeú", " Mais um Baú de Retalhos" e "Fim de Feira".

Duas cidades já têm agenda para o lançamento do novo livro do poeta. Vejam:

06/01/2011 - Afogados da Ingazeira
Local: Cine Teatro São José
20 horas
Organização: Alexandre Morais e Dr. Lúcio


08/01/2011 - São José do Egito
Local: Marcelo's Bar ( onde acontece o Quintal da Cantoria)
20 horas
Organização: Vinicius Gregório e Nenen Patriota.


 
Indagado sobre o lançamento na sua terra natal - Tabira - Dedé afirmou que está, juntamente com a APPTA, agendando uma data. Os admiradores de Dedé Monteiro aguardam ansiosamente este momento. Enquanto isso, participam do lançamento nas outras cidades.


HOMEM ENCONTRADO MORTO EM TABIRA


Solicitado para averiguar a situação de um homem aparentemente sem vida na calçada do Mercado Público, o policiamento constatou que era o agricultor José Alves Feitosa,55, morador da Rua Stº Antonio, centro de Tabira. Socorrido até o hospital, o médico platonista constatou que o mesmo já estava sem vida. Ainda não se sabe a causa da morte.
Informações:  Site Nill Júnior

domingo, 26 de dezembro de 2010

III PAJEÚ EM POESIA:  UMA NOITE IMENSAMENTE CULTURAL

Uma noite de Natal. Um evento que mexeu com a alma do sertanejo, do amante da poesia popular! Assim aconteceu o III Pajeú em Poesia em Afogados da Ingazeira! Aos poucos, a Casa de Eventos Beto Show abriu espaço para o público que, ansiosamente, aguardava o momento poético. Enquanto isso, Edierck José, com o melhor da música, recebia os poetas, os admiradores da cultura popular.
Este ano, Dedé Monteiro - poeta tabirense, Mestre da poesia - era o homenageado. Quantos versos inspirados foram ditos pelos poetas violeiros: João Paraibano, Diomedes Mariano, Sebastião Dias. Os poetas declamadores: Dudu Morais, Zé de Mariano,  Chico Pedrosa, Felipe Júnior, Júnior Guedes, Gonga Monteiro e muitos outros que prestaram homenagem ao poeta Dedé Monteiro, declamando diversos poemas.
Organizado por Alexandre Morais ( jornalista, poeta e defensor da cultura pajeuzeira), o III Pajeú em Poesia foi campeão de público e proporcionou a confraternização da poesia sertaneja. O encontro entre poetas e admiradores. O encontro da rima, do verso com a inspiração. Toda a emoção da noite foi muito bem registrada pelo fotógrafo Claudio Gomes.

Alexandre Morais ( idealizador do Evento), Paulo Henrique ( neto de Dedé Monteiro),
Dedé Monteiro ( homenagado da noite)
Zé de Mariano ( poeta tabirense)
Albino Pereira ( poeta tabirense)

Dr. Lúcio ( Promotor de Justiça e poeta)

Chico Pedrosa ( poeta)

Gonga Monteiro ( poeta tabirense e irmão de Dedé Monteiro)

Júnior Guedes ( poeta tabirense e sobrinho de Dedé Monteiro)

Paulo Monteiro ( poeta tabirense e irmão de Dedé Monteiro)

Dudu Morais ( poeta tabirense)

Felipe Jr. ( poeta egipciense)

Edierck José ( músico afogadense)

Violeiros Sebastião Dias ( Tabira), João Paraibano e
 Diomedes Mariano ( Afogados da Ingazeira)

( Uma parte do público presente)


 Katarina e Alexandre ( filha e genro de Dedé Monteiro)

 Nós: Eu e Jackson

Inês e Beta ( irmãs de Dedé)
Fotos: Cláudio Gomes

sábado, 18 de dezembro de 2010

O III PAJEÚ EM POESIA ESTÁ CHEGANDO!

Numa noite de natal,
Neste Pajeú da gente,
Um evento como este
Todo mundo, certamente
Para Alexandre e Dedé
Fará aplausos, de pé,
Ao som de muito repente!








segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Espaço poético!





Acesse:
http://www.interpoetica.com/ 

Rimas nossas!

Quando a chuva  visita o nosso chão
E a água escorrega sobre a terra
A boiada, feliz, chocalha e berra.
É fartura que chega ao Sertão.
Nosso Rio Pajeú, em turbilhão,
Sai rasgando, feroz, a madrugada.
O barulho do sapo, da estrada
É possível ouvir, em sinfonia.
E o Sertão, com certeza, nesse dia
Comemora, em verso, a invernada!
( Veronica Sobral)
DEDÉ MONTEIRO LANÇA SEU QUARTO LIVRO


Um dos maiores poetas da região, Dedé Monteiro, lançará o seu 4º livro, entitulado " Meu Quarto Baú de Rimas". O livro foi editado pela Editora Bagaço e será lançado no dia 11 de Dezembro, em Recife.
Em breve, o poeta fará o lançamento na região do Pajeú!

Dedé é autor de : " Retalhos do Pajeú", " Mais um baú de retalhos" e " Fim de feira"!