Anucie sua empresa

Anucie sua empresa

domingo, 12 de maio de 2013

Visitando a “Terra do Rei do Baião”


Há muito nos devíamos essa viagem. E por isso, acordar cedo num sábado de sol que mais iluminava nossa imaginação não foi tarefa difícil. Não foi mesmo!
Na ida, uma parada para um café com direito a lona no chão, um verdadeiro piquenique, em frente à Cruz de Zé Marcolino, (beira de estrada meeeesmo!), no povoado Santo Antônio, município de Carnaíba.
Seguimos viagem com algumas paradas para nos confraternizamos a cada encontro. Uma festa a cada momento de encontro e reencontro! Então a chegada não foi nem complicada, Tote nos ciceroneando pelas terras de “Luiz Lula Gonzaga”, nos levando a um bar sertanejo, onde o cardápio não poderia ser outro senão bode assado, galinha de capoeira, macaxeira, “baião de dois”, comida essa que só alimentou ainda mais a vontade de conhecer bem a história daquele que levou o sertão, O NOSSO SERTÃO para o Brasil, para o mundo!
De imediato seguimos para o Parque Aza Branca (o Aza foi registrado com z porque Luiz Gonzaga assim o quis, e por ser escrito errado, foi questionado na hora do registro, nem isso o fez mudar de ideia, natural para o sertanejo persistente, “cabeçudo”, teimoso que era). Lá no Parque Aza Branca, antiga Fazenda que Luiz Gonzaga costumava reunir os amigos, estão o museu, o mausoléu de Luiz Gonzaga e um pátio para festas. No museu encontramos a sua história, o famoso fole de ouro, um grande acervo fotográfico, os discos, os troféus, os diplomas, os títulos, inclusive o de cidadão tabirense, recebido em 1979, aqui em Tabira. Uma história que emociona muito, que nos remete a uma época de dificuldades, mas, sobretudo, de conquistas, de vitórias e de transformações para o sertão pernambucano.
De quebra, tivemos a oportunidade de conhecer a casa de Bárbara de Alencar, revolucionária da Revolução Pernambucana de 1817. Mãe de José Martiniano Pereira de Alencar, Tristão Gonçalves e Carlos José dos Santos, também revolucionários. Neste caso, Bárbara de Alencar foi avó de José de Alencar e representa mais uma figura ilustre da cidade Exu.

Cruz de Zé Marcolino, Comunidade Santo Antônio, Carnaíba-PE, nossa primeira parada 
 
 Uma das paradas da viagem, em Serrita

No almoço, todos se divertem da forma apropriada para cada um... Júlia e Carlos Eduardo

 No almoço, já em Exu, todos foram para o palco!

 A Casa de Reboco do sertanejo, no Parque Aza Branca

 Quem disse que as crianças não se divertem e não se interessam por coisas do Sertão?

 As obras do "Rei do Baião" expostas na lojinha do Museu.

Museu do Gonzagão... A história de um "rei", no PARQUE AZA BRANCA

A casa de Luiz Gonzaga

Tudo o que imaginávamos da vida de Luiz Gonzaga, em sua casa...

 
Interior da Casa de Luiz Gonzaga

 Espaço dedicado às Asas Brancas, na casa de Luiz Gonzaga

 Asa Branca - Ave símbolo do Sertão, no viveiro da Casa de Gonzagão

 Elisabeth e Estéfany, à sombra do juazeiro

Meu sobrinho Carlos Eduardo, o paulista encantado com a história de Gonzagão

Casa de Januário e Santana, onde aconteceu o fato do caneco no pote d'água... "tibungo"

Casa de Januário

Igreja de São João Batista, onde foi batizado Luiz Gonzaga

Casa do Barão de Exu

Casa de Bárbara de Alencar, Revolucionária e avó do escritor cearense José de Alencar

Marco onde nasceu Luiz Gonzaga no sítio Caiçara, Exu-PE

Câmara Municipal de Vereadores, Exu-PE

Igreja Bom Jesus dos Aflitos, Exu-PE

O sanfoneiro Joãozinho do Exu recebendo os poetas da APPTA

No Kapanda Bar, com Joãozinho do Exu, toda turma do passeio.

Que no próximo, mais poetas possam desfrutar de toda emoção que uma viagem cultural dessas é capaz de proporcionar.

Nenhum comentário: