Anucie sua empresa

Anucie sua empresa

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

João Paraibano: um olhar sobre a seca


Já no filme da seca a gente vê
A poeira da terra levantando
As abelhas sedentas doidejando
Por não ter flor aberta no ipê
As feridas que tem no massapê
Só parecem pegadas do verão
Onde tinha a corneta do carão
Hoje resta a cigarra assobiando
A coivara da seca está queimando
Quase toda esperança do sertão.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Saudades do poeta Zé de Mariano

Resultado de imagem para ze de Mariano


Há 3 anos acontecia, com muita tristeza, o velório do poeta de Zé de Mariano, poeta tabirense que faleceu vítima de acidente, no dia 2 de janeiro de 2014. Além de Zé, morreram a esposa, a filha e o cunhado. O sertão ficou chocado. A poesia de luta. 

Zé, que tanto poetisava o Sertão, o matuto, as coisas nossas, deixou essa lacuna em nossos corações e na poesia. Há exatamente 3 anos, com lágrimas nos olhos, molhando o papel e borrando a tinta, escrevi:

Soneto a Zé...

Ó, meu Sertão, por que deixaste Zé
Morrer na estrada, calar sua voz?
Por que não pensaste, que a falta entre nós,
Iria abalar a nossa pouca fé!

Tabira está triste, a poesia chora,
O verso da APPTA já emudeceu
Se Zé, que cantava, não sobreviveu...
Quem vai, ó Sertão, te cantar agora?

Quem vai exaltar a nossa jurema,
O nosso carão, nossa Borborema,
As coisas bonitas desse nosso chão?


Quem vai ter orgulho de ser sertanejo,
De exaltar tão bem nosso lugarejo?
Quem vai exaltar, quem vai, meu Sertão?

Capacitação do Funcultura Audiovisual em Afogados da Ingazeira

Resultado de imagem para funcultura

No dia 28 de dezembro de 2016 foram lançados os editais do FUNCULTURA, este ano serão três editais, o Geral, o da Música e o Audiovisual, totalizando um investimento de R$ 42,2 milhões na produção cultural independente do Estado. Deste total um pouco mais de R$ 20 milhões serão destinados ao Edital do Audiovisual.
Com intuito de capacitar os produtores e realizadores locais a participarem do Edital do Audiovisual 2016/2017, a Diretoria do Audiovisual do Estado inicia um ciclo de capacitações em 2017.
Em Afogados da Ingazeira a capacitação acontecerá dia 13, sexta-feira, às 14h, na Escola Monteiro Lobato. Qualquer pessoa pode participar e as inscrições serão feitas no local.

Do Blog Nill Júnior


Djalma Alves é empossando em Solidão e anuncia seis secretários



Resultado de imagem para djalma alves

A cidade de Solidão tem novo prefeito. Djalma Alves que foi empossado no dia 1º de janeiro, às 18 horas. Por diversos mandatos, Djalma atuou em Solidão como vereador e, em outubro, concorreu  à sucessão municipal. 
Após a posse, o prefeito eleito anunciou o secretariado. Cinco secretários foram nomeados. A Secretaria de Educação sera conduzida por Aparecida Ramos; Secretaria Executiva de Governo, por Maurício Batista; Secretaria de Agricultura, Murilo Amorim; Secretaria de Saúde permanece Damiana; Secretaria de  Finanças, será exercida por Elizete Oliveira e Secretaria de Cultura, por Antonio Correia. 
A novidade é que o gestor não nomeou os Secretário de Administração e de Obras.  A intenção é reduzir custos e economizar para melhorar as finanças do município. 
O prefeito, ao assumir, já assumiu alguns compromissos da gestão de Cida. Um deles, pagar o salário de dezembro dos professores. A prefeita deixou esse abacaxi para Djalma. 

O grande desafio é equilibrar as contas do município. No entanto, embora haja desafios, Djalma demonstra vontade de fazer uma boa gestão e transformar Solidão. 


Algumas fotos do prefeito de Solidão assumindo a prefeitura, com parte da equipe e funcionários:

A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, em pé e óculos de sol


A imagem pode conter: 11 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas, pessoas em pé, tabela e área interna


A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé e sapatos

Morre Iolanda Dantas, viúva do compositor Zé Dantas


Resultado de imagem para iolanda dantas



Faleceu nesta segunda-feira (2) aos 86 anos, Dona Iolanda, viúva do músico Zé Dantas. A confirmação foi dada pela neta Marina Elali, que contou ao portal G1 que a avó estava internada em um hospital privado no bairro da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, por conta de complicações de saúde provocadas pela idade.
Segunda Marina, o corpo será cremado e encaminhado para o cemitério de Santo Amaro, em Recife, para ser enterrada ao lado do corpo do marido, como era o desejo da mesma. Zé Dantas morreu aos 41 anos de idade, mas deixou sua marca na música brasileira como um dos principais parceiros de Luiz Gonzaga, com quem compôs canções como “A Volta da Asa Branca”, “O Xote das Meninas” e “Riacho do Navio”.
O prefeito de Carnaíba, Anchieta Patriota lamentou em nota a morte de Dona Iolanda e decretou luto oficial:
“Com profunda tristeza recebemos a notícia do falecimento de Dona Iolanda Dantas na tarde de hoje (02/01).
A eterna musa de Zé Dantas, com quem estive há aproximadamente 30 dias, sempre teve muita atenção conosco e com a terra natal do marido e já preparava material que seria doado para o Museu que homenageia a nossa maior referência na cultura.
Fica aqui expressado nossos sentimentos e declaramos luto oficial por 3 dias em nosso município”.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Poeta em: Francisco Lourenço

Soneto a meus pais

Toda vez que retorno à "minha" casa
Pra rever minha mãe e o meu pai
Uma lágrima do rosto sempre cai
Bem na hora de sair que mãe me abraça

Sinto-me como um passarinho que tem na asa
Um defeito que lhe impede de voar
Vendo o rosto de mamãe a prantear
E o meu peito já queimando feito brasa

Vou saindo sem falar como quem engasga
Com o próprio soluço de repente
E a tristeza me conduz dali pra frente

Com uma dúvida na cabeça a martelar
Sem saber se outro dia novamente
Eu terei todos dois a me esperar

SER POETA – Florbela Espanca


Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Aquém e Além Dor!
É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!
É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim…
É condensar o mundo num só grito!
E é amar-te, assim, perdidamente…
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

                                                         Colaboração: João Pedro Sobral

Movimento Viva Tabira ganha força




Um grupo de jovens que amam Tabira vêm lutando por uma cidade melhor. Para isso, criaram o "Movimento Viva Tabira", que visa acompanhar os recursos que o município recebem os gastos, bem como, fazer propostas para o avanço da cidade.
Aproximadamente, em 2011, os jovens resolveram fortalecer o movimento e criar uma página no Facebook, objetivando divulgar o que trabalho que realizam, as cobranças, conquistas e reconhecimento. 

O primeiro passo, acompanhar a publicação dos documentos de licitações no site da Prefeitura, uma forma de garantir a população o acesso à informação. Há quase um ano, a prefeitura não publicava, sendo cobrada sistematicamente pelo grupo. 
Esta semana, atendendo o pleito do Movimento, a prefeitura incluiu documentos de 25 licitações em seu site. Uma conquista considerada pelo grupo, comemorada em redes sociais: 

"Algo que a gente sempre vai cobrar da Administração do município é transparência, tanto na franqueza das respostas aos nossos questionamentos, como na publicação de todos os documentos importantes que a sociedade tenha o direito de conhecer.
Desses documentos, uns dos mais importantes são aqueles gerados nas licitações, desde o edital completo do que vai ser licitado até o contrato com a empresa vencedora, com todos os detalhes que o cidadão precisa para entender o que vai ser feito, como e por quanto.

Todos esses documentos devem estar no site da Prefeitura, é obrigatório. No entanto, desde o início do ano, a Prefeitura de Tabira havia deixado de atualizar essas informações.
Informamos aos responsáveis por diversos meios, e até ingressamos com uma Impugnação na última licitação realizada pela Prefeitura. A Comissão da Licitação respondeu, mas de maneira insuficiente, ignorando nosso pedido.
O próximo passo seria representar esse fato ao Ministério Público, mas, felizmente, nesta segunda-feira, a Prefeitura Municipal decidiu atualizar o portal de licitações (www.tabira.pe.gov.br/licitacoes.php), colocando os documentos mais importantes todos os processos licitatórios realizados em 2016 (edital e anexos, atas e contratos firmados).
Enaltecemos a iniciativa da Prefeitura e celebramos essa conquista alcançada pelo diálogo. 

Vamos em frente e #VivaTabira!"
Nenhum texto alternativo automático disponível.


                   O Movimento Viva Tabira não para por aqui! Esta semana mandou para  às duas candidatas à presidência da Câmara de Vereadores de Tabira/PE, Dra. Claudiceia Rocha e Dra. Nelly Sampaio, uma sugestão de cinco medidas que poderaim ser  implementadas na próxima gestão da Casa Eduardo Domingos, a fim de aumentar a transparência dos gastos e aproximar a população dos trabalhos realizados naquela espaço:


1º) DISPONIBILIZAÇÃO DA LEGISLAÇÃO DO MUNICÍPIO
Além da função legiferante, a Câmara de Vereadores é também a guardiã da legislação municipal. No entanto, o acervo legislativo do município está completamente indisponível na rede mundial de computadores.




2º) DISPONIBILIZAÇÃO MENSAL DA FOLHA DE PAGAMENTO E RECEITAS E DESPESAS
A folha de pagamentos nunca foi disponibilizada ao público, a não ser por burocrática solicitação formal, e há considerável defasagem na atualização das informações de receitas e despesas da Câmara de Vereadores no site Tome Conta, do TCE/PE, sendo bastante recomendável a contratação de software para publicação dessas informações, alimentadas pelo Sistema Sagres.


3º) DISPONIBILIZAÇÃO DOS DOCUMENTOS DOS PROCESSOS LICITATÓRIOS
A disponibilização dos documentos dos processos licitatórios na rede mundial de computadores passou a ser obrigatória após a Lei de Acesso à Informação e foi um pleito nosso junto à Prefeitura de Tabira, devidamente atendido após o convencimento da obrigatoriedade por parte desse ente (www.tabira.pe.gov.br/licitacoes.php), que agora permitirá o acompanhamento e a fiscalização popular.


4º) DISPONIBILIZAÇÃO DAS ATAS E DAS GRAVAÇÕES DAS SESSÕES REALIZADAS
A Câmara de Vereadores é a casa de representação popular por excelência, onde os principais assuntos de interesse público da cidade são abordados e debatidos. Desse modo, considerando que as gravações das sessões e a confecção das atas são atos rotineiros, é democrático convidar a população a se inteirar do trabalho realizado na Casa do Povo disponibilizando o acesso facilitado e permanente a esses materiais.


5º) DIVULGAÇÃO OPORTUNA E ANTECIPADA DAS PAUTAS DAS PRÓXIMAS SESSÕES
Os interesses de cada cidadão ao que é tratado na Câmara de Vereadores são variáveis de acordo com o tema tratado, sendo penoso exigir seu comparecimento pessoal às sessões ou escuta das transmissões de rádio para que saiba o que está sendo tratado. Desse modo, sugerimos a publicação antecipada das pautas a serem tratadas, para que o cidadão possa se programar e definir sua participação conforme seu interesse nos temas.

A efetivação dessas medidas certamente daria mais transparência à gestão e possibilitaria à população um acompanhamento efetivo do trabalho realizado por nossos representantes.

E assim segue o "Movimento Viva Tabira!" Sigamos e nos engajemos! 

Acesse a página no Facebook e seja um membro: 
A imagem pode conter: texto


Edson Moura: Um desbravador do Sertão do Pajeú!




             A Folha de Pernambuco publicou, semana passada, uma reportagem, com entrevista incrível sobre o médico Edson Moura e suas publicações. 

Resultado de imagem para edson moura tabira


O médico e escritor José Edson de Moura lançou este ano dois livros. “Casos e acasos” (191 páginas, Editora Bagaço) e “Fragmentos de uma vida”, 278 páginas, Editora Bagaço). No primeiro, o leitor vai conhecer as histórias do cotidiano do médico e político. No segundo, ele presta uma homenagem ao seu pai (Severino Rodrigues de Moura), já falecido. Em entrevista exclusiva à Folha de Pernambuco, doutor Edson, como é conhecido na região do Sertão do Pajeú, conta sua trajetória e mostra que é possível sair do nada e, através do estudo e do trabalho, conquistar um futuro promissor.

ORIGEM
Minha origem é muito humilde. Sou filho de um agricultor, Severino Rodrigues de Moura, e de uma dona de casa, Severina Azevedo Moura. Nasci no engenho Humaitá, da Usina Pedroza (Cortês), Mata Sul pernambucana, no ano de 1942. Meus pais eram analfabetos, mas tinham o sonho de que seus filhos estudassem até serem doutores. Eu e meus quatro irmãos sempre estudamos em escolas públicas. Só estudamos no Colégio Americano Batista porque conseguimos bolsas de estudos do Governo do Estado. E todos fizeram vestibulares, passaram e concluíram os cursos em universidades públicas.

FAMÍLIA
É a base para a formação integral do ser humano. Eu e meus irmãos recebemos uma educação muito rígida. Meu pai só queria que a gente estudasse e não admitia que fizesse nada de errado. Não é à toa que todos se formaram, apesar dos poucos recursos dos meus pais. José Agápto , eu e Maria José escolhemos ser médicos, José Moura formou-se em engenheiro agrônomo e José Evóide em advogado. Construí minha própria família ao lado de Márcia Soares de Moura, mãe dos meus cinco filhos (Júnior, Michelle, Sérgio Ricardo e Caio César são médicos e Paulo Marcello é surfista profissional).

UFPE
Tentei o vestibular de Medicina por duas vezes sem ter êxito. Só consegui passar depois de fazer um curso preparatório patrocinado pela Sudene. E finalmente passei em Medicina, na Universidade Federal de Pernambuco, na época, um dos mais concorridos do Nordeste. Quando cheguei para as aulas, fiquei incrédulo, estava estudando ao lado da elite nordestina e, no futuro, poderia competir de igual para igual no mercado de trabalho. Foram seis anos de muita dedicação e renúncia.

TABIRA
Um homem de origem humilde só tem três sonhos na vida: um emprego, uma casa e um carro. Mas eu pensava em ter algo mais, porque tinha um diploma na mão e um espírito de luta inigualável. E sempre pensava no que meu pai dizia: “No país onde existe democracia, sempre há oportunidades para todos”. Em 1970, fui nomeado médico para o hospital de Tabira, cidade do Sertão do Pajeú, onde construí parte da minha história.

PESADELO Em 1978, fui convidado por João Cordeiro da Silva Neto, homem conhecido e conceituado na região do Alto Pajeú, para ser prefeito de Tabira. Pensei, refleti e respondi que não. Isto por vários motivos: não tinha vocação política; não era filiado a nenhum partido; além disso, era um forasteiro. Mas, mesmo assim João Cordeiro anunciou minha candidatura. Quis o destino que o Congresso Nacional prorrogasse o mandato dos prefeitos. Foi ai que meu sonho virou pesadelo. O atual prefeito se sentindo ameaçado pela minha candidatura solicitou minha transferência para Arcoverde e, alguns meses depois, fui transferido para o Hospital da Restauração em Recife, mas continuei morando em Tabira. Mas as retaliações não pararam por ai: também fui proibido de trabalhar em qualquer hospital do Sertão do Pajeú.

AFOGADOS
Ao terminar meu período no Hospital da Restauração tentei voltar para Tabira, mas não consegui alvará para construir uma unidade hospitalar privada. Então, resolvi abrir consultório em Afogados da Ingazeira e, posteriormente, comecei a construir o Hospital José Evóide de Moura. Hoje, é um centro hospitalar moderno que não deve nada aos hospitais da Capital pernambucana.

PREFEITO Fui duas vezes prefeito de Tabira. A primeira em 1983 a segunda em 1992, quando tive a difícil missão de implantar novas políticas, fazer mudanças e mediando os interesses de forma que Tabira conquistasse o respeito e credibilidade perante o Estado. Para isso, fui buscar no governador Roberto Magalhães o apoio na construção de uma nova Tabira.

DEPUTADO O ano era 1989. O ex-governador Roberto Magalhães disse-me que Tabira precisava de um representante na Assembleia Legislativa. E a minha brilhante administração colocava-me dentro de um cenário político digno de ocupar uma cadeira na casa Joaquim Nabuco. Tive que me filiar ao PDT para viabilizar minha candidatura. E para me eleger deputado estadual só contei com apoio financeiro da minha família. Por isso, cheguei à Assembleia independente para seguir a coerência da minha consciência. Tive todas as chances para ser Deputado Federal, mas na política ou em qualquer atividade, existe a hora de entrar e a hora de sair.

LIVROS Nunca fui escritor e, nem tenho talento para tanto. Porém, não podia deixar de registrar momentos folclóricos e até mesmo hilariantes do meu cotidiano como médico e político, além de registrar toda a trajetória da minha família. Ao todo, já lancei seis livros: “Sapos da política I” (1988), “Sapos da política II” (1993), “Notas para a história de Tabira” (1987), “Um médico, muitas vidas” (2011), “Casos e acasos” (2016) e “Fragmentos de uma vida” (2016). Escrevi os livros para serem doados e para presentear meus amigos. Eles não estão à venda em livrarias.

MUSEU Durante minha trajetória de vida ganhei muitos presentes. Isto porque, nem sempre as pessoas tinham dinheiro vivo para pagar meu atendimento médico. Comecei a reunir esses presentes e percebi que tinha um acervo considerável, formado por cerca de 300 peças antigas de grande valor. Reuni todos no Recanto dos Moura, chácara próxima a Tabira. Alguns estão catalogados e guardados em locais específicos, outros não. Meu sonho é criar um museu para preservar a memória da minha família e do povo de Tabira.

Uma trajetória de trabalhos e sonhos
“No início desse mês, lancei meu sexto livro, onde registrei a trajetória do meu pai, Severino Rodrigues de Moura. A obra é dividida em cinco partes: Reflexões, Memórias, Homenagens, Cartas e Fotos. Traz um perfil do meu pai, um homem simples, mas que pautou sua vida no trabalho honesto, na dedicação à família e no sonho de ver os filhos formados.

Nascido em Vertentes, no Agreste pernambucano, Severino Rodrigues Moura, veio ao mundo no início do século XX. Filho de agricultores, cresceu analfabeto, mas tinha um temperamento desinibido, era educado e sabia pisar em qualquer lugar. Era dono de uma autoestima que excedia à sua condição de homem do campo.

Sempre trabalhou no sítio do meu avô. Mas os períodos de seca constante não mostravam futuro para o jovem agricultor. Com 25 anos, comunicou ao pai que iria tentar a sorte em outro lugar, o que meu avô protestou, mas não demoveu sua intenção.

Pegou um ‘matulão’ com rede, lençol e roupas e ganhou o mundo. Andou 120 km a pé até chegar ao Engenho Riachão, propriedade da Usina Pedroza, no município de Ribeirão. Começou como camponês arrancando toco, depois passou a Cabo de Turma. Foi quando mandou buscar minha mãe em Vertentes. Começou a ser alfabetizado. Com a descoberta das letras, o mundo se abriria aos seus pés; porque para ele “o homem é um cego quando não sabe ler”.

De Cabo de Turma passou a Apontador e, em seguida, administrador do Engenho Pedrez. Após seis meses foi para o Engenho Humaitá e foi transferido para o Engenho Ilha das Flores. Em seguida, foi administrador de cinco engenhos da Usina Pedroza.

E assim foi a vida do meu pai, um curumba que trabalhou nas principais usinas do Estado por mais de 48 anos. Por sua larga experiência de vida, sua honradez, venceu o ostracismo com seu feito no corte da cana-de-açúcar.

Antes de falecer em 2013, com 98 anos, ele levou a vida a escrever suas memórias, livros de pesquisa e de história, concatenando nas linhas, sua trajetória de vida e os acontecimentos dos quais participou. Ele escreveu dez livros”.



                                                                              Sugestão de publicação no blog: João Pedro Sobral

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Anchieta Patriota anuncia secretariado. Solidão mantém suspense


img_4318

O prefeito  eleito de Carnaíba, Anchieta Patriota, anunciou seu secretariado ontem, 27. Com a presença do Deputado Federal Danilo Cabral, Patriota anunciou a Profª Maria José Martins, Secretária de Educação; Lurdes Leite, Administração; Vilberto Malaquias, Finanças; Zé Ivan, Agricultura; Kátia Santos, Ação Social; Celma, Saúde. O prefeito extinguiu três secretarias: Cultura, Governo e Jurídico, tornando-as diretorias, como forma de reduzir gastos.

Resultado de imagem para djalma prefeito de solidão

Já na cidade de Solidão, só correm boatos sobre secretariado. O prefeito Djalma Alves não anunciou nomes. Parece que somente na posse serão desvendados os mistérios.
 Há quem diga que Djalma mudará a cara do governo, mudando os ocupantes dos cargos. Vamos esperar pra ver!

Governo do Estado deixa brega, sertanejo, arrocha e forró estilizado de fora do Carnaval 2017


Resultado de imagem para frevo


Ao contrário de muitos municípios que mantêm a música estilizada nas suas festas tradicionais, o Governo do Estado de Pernambuco quer preservar a cultura local e o carnaval tradicional. Para isso, lançou a convocatória do Carnaval 2017, em que no edital somente serão aceitas inscrições de cultura popular, música e dança da tradição carnavalesca, orquestra de frevo e música popular brasileira.
Sendo assim, o uso do dinheiro público será para manter a tradição cultural da região!

Ah, se a moda pega... O dinheiro destinado à cultura teria uma aplicação mais útil!
Serve de exemplo para o sertão! Sigamos!

Virada de ano em Tabira mantém tradição de forró estilizado



Resultado de imagem para interrogação
        Tabira entrará o ano de 2017 seguindo a tradição de sempre, mantendo na programação um dos Estigados. 
           Embora coloque no palco Igor e Amanda, BKL e Wagner Fernando, fecha a programação dos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro, com Estigado e Saia Rodada, conforme publicação de representantes do governo em redes sociais.
           No ano em que se ganha um Patrimônio na cidade, representando a cultura de Pernambuco, mesmo assim Tabira não se liberta do forró estilizado!
             É difícil entender!


segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Conversa especial


Dedé Monteiro é diplomado Patrimônio Vivo de Pernambuco

O poeta Dedé Monteiro, tabirense de alma e sangue, recebeu o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco. A solenidade aconteceu no dia 22 de dezembro, às 12 horas, no Palácio do Campo das Princesas. O governador Paulo Câmara fez a entrega aos 6 Patrimônios Vivos eleitos na edição deste ano.
 O poeta, merecedor do prêmio, representa a poesia sertaneja e nordestina, orgulhando o Pajeú.

Dedé recebeu muitas homenagens ao longo dessas últimas duas semanas. No entanto, há quem critique a ausência do Prefeito Sebastião, na entrega do título, já que ele é o prefeito poeta e intitulou a cidade de Tabira como " Terra da boa poesia". Terá sido descuido do prefeito ou ele deu pouca importância?



9º Pajeú em Poesia acontece em Afogados da Ingazeira

A cidade de Afogados da Ingazeira viveu o 9º Pajeú em Poesia, ontem, 25. Quem foi aprovou e aprovou bonito!

Além de muitas declamações, musicais um público diferenciado, o Pajeú em Poesia trouxe Jonhatan Malaquias e Encanto e Poesia.

Os poetas ficaram encantados com a receptividade dada ao poeta Dedé Monteiro, aplaudido de pé ao chegar ao evento!

Parabéns a Alexandre Morais pela organização e luta!


Festa de Louro já tem programação


Já circula nas redes sociais a programação da festa de Louro do Pajeú em São José do Egito.
Este ano, a festa faz homenagem aos 102 anos de Louro do Pajeú e 100 anos de Zezé Lulu.


PROGRAMAÇÃO DA FESTA DE LOURO

QUARTA 04

João Macambira
10h Infantil Decripolou Totepou, com Odília Nunes
15h Lançamento do Livro Amigos do Tirol - Encontro de
histórias do asfalto com a sabedoria do Sertão, de Fernando Mousinho e outros, com Fernando Mousinho
15:30h Mesa Debate - Zezé Lulu, com Zezé Neto, Fernando Lulu e Antônio José de Lima.
Igreja Matriz de São José
19h Missa do Cantador, celebrada pelo Pe. Luisinho, com os repentistas Valdir Teles e Diomedes Mariano
Instituto Lourival Batista
20:30h Cine Louro, em homenagem a Severina Branca
- Filmes - Vale dos Poetas, da Página 21
Maria, de Carol Correia
O Silêncio da Noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras, de Petrônio Lorena.
Bodega Job Patriota
22:30h Maviael Melo
23h Petrônio e as Criaturas
00:00h Rodrigo Marinho e MPB Xote
QUINTA 05
João Macambira
9h A poesia O corpo A rua, oficina de declamação com Gleison Luiz Nascimento
14h Lançamento do livro Religiosidade Popular - França e Pernambuco: Diálogos, expressões e conexões, de Silvério Pessoa
15h Lançamento do Livro Pífanos do Sertão, mapeamento e pesquisa sobre as bandas de pífanos dos sertões do Pajeú, Moxotó e Central de Pernambuco, da Página 21, com Amaro Filho e Cacá Malaquias.
Bodega Job Patriota
16h Banda de Pífanos de Riacho do Meio
16:45h Coração de Poeta
Palco Zá Marinho
18:30h Homenagem a Carlinhos Veras
- Rising
-Qual Foi
20:30h Bia Marinho, Val Patriota e Tonfil
21:30h Vozes e Versos
22:30h Mambembe
23:30h Luizinho de Serra
00:30 Em Canto e Poesia
1:30 Spok Quinteto
SEXTA 06
Bodega Job Patriota
12h Baião de Dois
13h Cantoria com Diomedes Mariano e Severino Feitosa e Afonso Pequeno e Lázaro Pessoa
13:30h Recital com Gleison Luiz Nascimento e Luna Vitrolira
14h Mesa de Glosa (Zezé Neto, Paulo Barba, Veridiano Lulu, Welisson Serrinha, Denylson Lulu, Aldo Neves e Dió Daniel) Coordenação: Jorge Filó
15:00h Recital com Nõe de Job e Graça Nascimento
15:30h Recital com Giuseppe Mascena e Clécio Rimas(homenagem a Dedé Monteiro)
16h As Severinas
17:30h Toque Solto
Bar O Artesão (Bar de Diandra)
19:30h Duo Artista, com Helton Moura e Vertin
(Microfone aberto e confraternização poético-musical)

Festa de Reis
A Festa de Reis de São José do Egito promete este ano! Comenta-se, nos bastidores, que O grande encontro será umas das atrações. Será verdade?


quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Dedé Monteiro receberá diplomação de Patrimônio Vivo ainda nesta semana




          O poeta Dedé Monteiro, eleito Patrimônio Vivo de Pernambuco receberá a diplomação nesta quinta- feira, dia 22, às 12 horas no Palácio  do Campo das Princesas em Recife. 
                 A data estava marcada para o dia 23,  sexta - feira, no entanto, o poeta recebeu a ligação de representação do governo que será antecipada para amanhã, 22.  
        Inúmeros poetas e admiradores de Dedé estão se organizando para acompanhar esse momento memorável. Do Pajeú está sendo organizada uma lotação para acompanhar o Patrimônio Vivo do Sertão, de Pernambuco, da poesia universal, Mestre Dedé Monteiro!

Segundo o poeta Marcos Passos, os poetas que residem em Recife também homenagearão Dedé presenciando sua diplomação!

Viva Dedé! Viva a poesia sertaneja!




A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, texto









quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Serra Talhada vive XII Encontro Nordestino de Xaxado





Serra Talhada, no Sertão do Pajeú, em Pernambuco, vivencia o 12º Encontro Nordestino de Xaxado, que acontecerá nos dias 14, 15, 16 e 17 de dezembro, na Estação do Forró, realizado pelo Ministério da Cultura / Governo Federal e Secretaria Municipal de Cultura e Turismo/Prefeitura de Serra Talhada.


Programação

DIA 15/12/2016 (QUINTA-FEIRA)

 Maria Bonita – Umari/CE Grupo de Xaxado Zabelê – Serra Talhada (PE) 
Grupo de Danças Xaxado (Parnamirim/RN)
 Grupo de Teatro e Xaxado Estrelas do Sertão – (Piranhas - Al)
 Grupo de Xaxado Cangaceiros de Vila Bela (Serra Talhada/PE)
 Grupo Frutos do Pará – (Belém - Pará)
 Apresentação As Severinas e Karl Marx – (São José do Egito e Serra Talhada/PE) 
Apresentação Musical: Trio Nordestino - (Rio de Janeiro/RJ)

 DIA 16/12/2016 (SEXTA-FEIRA) 

Grupo de Xaxado da APAE – (Serra Talhada/PE)
 Grupo Parafolclórico Terra da Luz - (Fortaleza/CE)
 Grupo As Belas da Vila (Serra Talhada/PE).
 Cia de Danças Raízes da Paz – (Ivoti/RS)
 Grupo de Tradições Folclóricas Moenda - (Areia/PB Txai)
 Cia de Danças Populares - (Fortaleza/CE)
 Apresentação Musical: Assisão - (Serra Talhada/PE)


DIA 17/12/2016 (SÁBADO)

 Cia de Dança Raízes da Paz - (Ivoti/RS)
 Grupo Herdeiros do Xaxado – (Serra Talhada/PE) 
Grupo Terra da Luz - (Fortaleza/CE)
 Grupo de Teatro Xaxado Pisada de Lampião - (Poço Redondo/SE) 
Grupo Cabras de Lampião – (Serra Talhada/PE)
 Grupo Luz do Sertão – (Salgueiro/PE) 
Txai Cia de Danças Populares - (Fortaleza/CE)
 Grupo Frutos do Pará – (Belém/PA)
 Apresentação Musical: Josildo Sá - (Tacaratu/PE) 
Roberta Aureliano e Fulô do Maracujá - (Maceió/AL)

Dedé Monteiro: Patrimônio Vivo de Pernambuco


Resultado de imagem para dedé monteiro

               Não é por acaso que Tabira hoje amanheceu com esperança. Céu nublado, clima ameno. Vontade de chover! Seria o dia que José Rufino da Costa Neto, Dedé Monteiro, receberia o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, pela FUNDARPE.
 Isso mesmo! Dedé Monteiro, o poeta lá do Barro Branco I, Poeta tabirense, professor, nosso mestre é PATRIMÔNIO VIVO DE PERNAMBUCO. 
Surpresa? Não! Dedé já era Patrimônio sem o título. A FUNDARPE hoje oficializa. Mas Dedé sempre foi o mestre dos mestres. Dedé nasceu poeta. E cresceu poesia! Dedé Monteiro é poesia viva. Dedé não faz somente poesia. Dedé é poesia!

         E pensando assim, as poetisas Belinha e Andreia inscreveram Dedé no Concurso concorrendo a Patrimônio Vivo de Pernambuco lançado pela FUNDARPE. E como é isso? Os Patrimônios Vivos de Pernambuco são mestres da cultura popular pernambucana, de notório saber, reconhecidos como Patrimônio Imaterial do Estado, que recebem este título através de um concurso público apoiado na Lei de Patrimônio Vivo . Todos os anos, três novos Patrimônios Vivos são nomeados pelo Governo do Estado de Pernambuco, e apoiados com o objetivo de preservar seus múltiplos saberes, fazeres, memórias e histórias. A lei, além de permitir a preservação e valorização das manifestações populares e tradicionais, garante as condições para que sejam repassadas às novas gerações de aprendizes. 

Então, Dedé preencheu todos os requisitos e hoje nos orgulha muito. Orgulha a APPTA!
Orgulha Tabira! Orgulha o Pajeú. Orgulha a poesia nordestina que se sente representada nesse registro.
Dedé é nosso! É no Povo. Dedé é Patrimônio da poesia e da cultura!





terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Sete municípios do Pajeú receberam Selo UNICEF


Resultado de imagem para selo unicef





Ontem, no Teatro Santa Izabel, 35 municípios de Pernambuco receberam Selo UNICEF. Desses, 7 fazem parte do Sertão do Pajeú: BrejinhoFlores,  Santa Terezinha, São José do Egito, Santa Cruz da Baixa, Serra Talhada e Tuparetama.


De acordo com o Unicef, 35 municípios fortaleceram as políticas públicas orientadas à infância e à adolescência e deram especial atenção a ações integradas entre as áreas de saúde, educação, proteção e assistência social das gestões municipais e estaduais para se alcançar resultados.

A metodologia desta edição inclui várias ações. Entre elas, estão as estratégicas (o que os municípios precisam realizar) e Indicadores de Impacto Social (os resultados que os municípios precisam melhorar). Eles envolvem sete direitos: de sobreviver e se desenvolver; de aprender; de proteger-se e ser protegido do HIV/AIDS; de crescer sem violência; de ser adolescente; de ser prioridade nas políticas públicas; e de brincar, praticar esportes e se divertir.

No Semiárido, foram 1.502 municípios convidados em 2013. Desse total, 1.134 se inscreveram e 658 seguiram na iniciativa até 2016. As 308 cidades certificadas integram o grupo dos que mais se destacaram, realizando pelo menos 70% das ações previstas na metodologia criada pelo Fundo das Nações Unidas.


O UNICEF capacita gestores e técnicos das secretarias municipais para qualificar a elaboração e execução das políticas públicas e para estimular que elas continuem mesmo após o fim de cada edição.


Tabira recebeu o Selo no quadriênio 2009 - 2012. No entanto, de 2013 a 2016 atingiu algumas metas, mas não suficiente para receber o Selo e por isso recebeu a certificação de Menção Honrosa.

Um natal sob olhar da poesia!


MEU PAPAI NOEL DE CASA – Dedé Monteiro
Aos garotos desconhecidos deste velhinho
Os sinos tocam contentes.
Aí, Papai Noel sai,
Distribuindo presentes,
Como se fosse outro pai.
Durante essa missão sua,
Desce rua, sobe rua,
Sobe morro, morro desce…
Palmilha todo o terreno.
Só meu casebre pequeno,
Papai Noel desconhece.
É porque eu não conheço
Onde Papai Noel mora.
Senão, o meu endereço
Eu ia enviar-lhe agora.
Escrevia um bilhetinho,
Pra lhe contar direitinho,
Onde fica o meu chalé.
Se dizem que ele advinha,
Por que só minha casinha
Ele não sabe onde é?
Quer saber o que se dava
Se papai fosse um ricaço?
Papai Noel não errava
As grades do meu terraço.
Chegava fora de hora,
Rondava a casa por fora,
Pela chaminé descia
E, em silêncio e sorrindo,
Deixava um presente lindo,
Pegava o saco e saía.
Chaminé muito enfeitada,
Minha palhoça não tem.
Mas, duma lata amassada,
Papai fez uma também.
Mas, se o senhor entender
Que ela não vai lhe caber,
Eu deixo aberta a janela.
Aí, se o senhor cansar
E achar que não deve entrar,
Jogue o presente por ela.
Reclamando desse jeito,
Talvez, eu esteja errado.
Pois, meu mocambo foi feito
Num lugar muito atrasado.
Lá, Papai Noel não passa,
Porque nem tem luz, nem praça,
Nem parque de diversão…
Esse Papai Noel nobre,
Não liga menino pobre
Que vive de pés no chão.
Mas, papai que é mais humano,
Este ano me falou:
“Se Deus quiser, para o ano,
Seu Presente eu mesmo dou!”
Papai é papai de fato.
Não é papai de boato,
Como esse Noel que atrasa.
Meu papai é tão fiel,
Que não há Papai Noel
Como esse que eu tenho em casa!!!

CARTA A PAPAI NOÉ – Luís Campos
 
Seu moço eu fui um garoto
Infeliz na minha infância
Que soube que fui criança
Mas pela boca dos outo.
Só brinquei com os gafanhoto
Que achava nos tabuleiro
Debaixo dos juazeiro
Com minhas vaca de osso
Essa catrevage, sêo moço
Que a gente arranja sem dinheiro.
 
Quando eu via um gurizin
Brincando de velocipe
De caminhão e de gipe
Bola, revólver e carrin
Sentia dentro de mim
Desgosto que dava medo
Ficava chupando o dedo
Chorando o resto do dia
Só pruquê eu num pudia
Pegar naqueles brinquedo.
 
Mas preguntei uma vez
A uns fio de dotô
Diga, fazendo um favô
Quem dá isso pra vocês?
Mim respondeu logo uns três
Isso aqui é os presente
Que a gente é inocente
Vai drumí às vêis nem nota
Aí Papai Noé bota
Perto do berço da gente.  
 
Fiquei naquilo pensando
Inté o Natá chegá
E na Noite de Natá
Eu fui drumi mim lembrando
Acordei fiquei caçando
Por onde eu tava deitado
Seu moço eu fui enganado
Que de presente o que tinha
Era de mijo uma pocinha
Que eu mermo tinha botado
 
Saí c’a bixiga preta
Caçando os amigos meu
Quando eles mostraram a eu
Caminhão, carro e carreta
Bola, revólver, corneta
E trem elétrico, até
Boneca, máquina de pé
Mas num brinquei, só fiz vê
E resolvi escrevê
Uma carta a Papai Noé.
“Papai Noé, é pecado
Os outro se matratá
Mas eu vou le recramá
Um troço que tá errado
Que aos fio de deputado
Você dá tanto carrin
Mas você é muito ruim
Que lá em casa num vai
Por certo num é meu pai
Que num se lembra de mim.
 
Já tô certo que você
Só balança o povo seu
E um pobe qui nem eu
Você vê, faz qui num vê
E se você vê, porque
Na minha casa num vem?
O rancho que a gente tem
E pequeno mas le cabe
Será que você num sabe
Qui pobe é gente também?
Você de roupa encarnada,
Colorida, bonitinha
Nunca reparou que a minha
Já tá toda remendada
Seja mais meu camarada
Prêu num chamá-lo de ruim
Para o ano faça assim:
Dê menos aos fio dos rico
De cada um tire um tico,
Traga um presente pra mim.

 
Meu endereço eu vou dá,
Da casa que eu moro nela
Moro naquela favela
Que você nunca foi lá
Mas quando você chegá
Que avistá uma paióça
Cuberta cum lona grossa
E dois buraco bem grande
Uma porta véia de frande
Pode batê que é a nossa.
* * *
FELIZ NATAL? – Dedé Monteiro
Tristes Natais de hoje em dia…
Pois “QUEM” aniversaria
Está na periferia
Ou a esmolar num sinal,
Enfrentando o preconceito,
O maltrato e o desrespeito,
Sem ter direito a Natal…
Por isso os Natais da gente
Precisam sair, urgente,
Atravessar o batente,
Andar por praças e guetos,
“Registrar” nome por nome,
Os CRISTOS que passam fome
Equilibrando esqueletos…
Aí, após “cadastrá-los”,
Ouvir seus ais, abraçá-los,
Tentar descrucificá-los,
Num gesto de amor profundo.
Depois, retomar a luta,
Na certeza absoluta
Do melhor Natal do mundo!!

Professores assinam petição pública contra a Reforma Previdenciária



Se a Reforma Previdenciária for assinada, os professores deixarão de ter aposentadoria especial e passarão a ser tratados como os outros servidores. Imaginem um professor com 70 anos dando aula? 

Pois é. Nas regras atuais, os integrantes do grupo Magistério serão aposentados voluntariamente aos 30 anos de efetivo exercício, se do sexo masculino e 25 anos de efetivo exercício se do sexo feminino.
 ( Vejam a emenda Constitucional n°20 , de 15.12.98, publicada no D.O.U. , de 16.12.98, Emenda Constitucional N° 41, de 19.12.2003, publicada no D.O. U., De 31.12.2003, Emenda constitucional N° 47, de 05.07.2005, publicada no D.O.U., de 06.07.2005 e a Lei n° 11.301, de 10.05.2006, publicada no D.O. U, de 11.05.2006). 


Trata se da aposentadoria especial, direito já garantido dos professores pela Constituição. 


Sendo assim, os professores resolveram fazer uma petição pública online, em que todos podem assinar, para endossar as reivindicações da classe. 

Para assinar, basta acessar o link:


Contribua!